Translate

Videos

Loading...

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

"Dois em avessos"

"Dois em avessos"


Numa noite sem premeditar encontrei um homem; assim como eu sem direção
Noite quente de estação errada encontrei uma mulher. Sem saber aonde chegar fui ao seu encontro. Lá estávamos juntos, na mesma direção a caminhar sem saber como chegar, mas certos que iríamos ate o fim seguimos.
Sozinhos na imensidão de um mundo vazio. Somente dois seres a se contemplar
No silencio absoluto da noite olhos se buscam, descobrem o brilho. No sorriso de outro ser a emoção de um recíproco presentear
.Em uma noite sem premeditar encontrei-me, No vazio silencioso de dois mundos opostos nossas vidas se colidiram. Em um momento único da vida, que não se necessita de explicação, onde as palavras não são uma condição
Dois seres em um mundo vazio, descobrindo a possibilidade, a capacidade de criar seu próprio mundo. Sem se preocupar com a durabilidade daquele mundo
Sem buscar a razão, somente o louco desejo de serem dois em um único universo de possibilidades sensações vai se completando
Se quando os planetas aliassem fosse possível ouvir algum som, teria sido naquele exato momento
Momento este único do encontro de dois seres em seu próprio existir. Sem saber até aonde ir. Buscando sua própria forma de se descobrir por inteiro no calor de outro corpo sua alma aquecer.
Na escuridão de um eclipse total, somente duas mãos a se sustentar.
Revela em si o prazer de se sentir vida.
Luz se faz em seus olhos carregados do desejo desperto no toque sutil de sua pele
Momento mágico onde todos os sonhos são liberados e podem ser sonhadas, as linhas do limites foram retiradas, talvez pelas mãos invisíveis do destino caprichoso que naquele momento resolveu dar poder á um homem e uma mulher
Ou seria ele um querubim atrevido brincando nesta noite solto em meu mundo de ilusões
Resolvendo conceder que todos os sonhos possam ser sonhados. E todos a fantasias de amor possam ser realizadas.
Então seja única fantasia, realidade atrevida de um sentir, do seu próprio querer
Perdido naquele mundo só deles, o encontro se fez.
Paraíso distinto unidos por um momento. O tempo não mais corre, passa lentamente por seus corpos
O único som que denuncia seu passar são os movimentos dos corpos no seu bailar. Naquele mundo esquecido nada se atreve a atrapalhar.
Seu limite é não dar-lhe limites, fora das conveniências que os homens criaram em outro mundo, distante deles.
Seus momentos eliminam a convenção e liberto de seus pudores permite a junção. l
Regidos por uma lei somente deles, criadas sem palavras, sacramentadas através do toque, do reconhecimento. Sem indagações; sem explicação
Sem saber de onde vieram e sem por quês. Vão sem direção na mesma direção, sem se importar aonde chegar.
Morena como a noite enlouquece os pensamentos e me faz delirar!


Su  Aquino e Mauricio Claúdio

Nenhum comentário:

Postar um comentário